Em 2011, estados receberam R$ 175 mi do programa Brasil Profissionalizado para qualificar ensino técnico

|| Postado por Zezé Medeiros em 10-01-2012

 Brasil Profissionalizante centraliza compras para instalar e equipar laboratórios.
Profissionalizado para qualificar ensino técnico desde 2008, apoio ultrapassou R$ 2 bilhões



Instituições do ensino técnico e profissionalizante das redes estaduais de todo o País receberam em 2011 investimentos de R$ 175,3 milhões da União - sendo R$ 162 milhões para a instalação de laboratórios e mais R$ 13,3 milhões para mobiliário.
 
Os recursos são do Programa Brasil Profissionalizado, uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) que, entre 2008 e 2011, investiu R$ 2,047 bilhões em formação de profissionais e na construção, compra de equipamentos e ampliação de escolas técnicas.
 
Dentro deste programa, 635 laboratórios ainda serão entregues neste ano para instituições de ensino técnico e profissionalizante das redes estaduais do Acre, Amapá, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina.
 
Parceria - A descentralização da instalação de laboratórios e da compra de mobiliário para a rede de ensino técnico estadual, promovida pelo Brasil Profissionalizado, torna o processo mais ágil, reduz custos e padroniza os equipamentos usados nos cursos. Em lugar de cada estado fazer as compras para instalar os laboratórios e equipá-los, o MEC centraliza estas aquisições e faz a distribuição para as instituições.
 
Em 2012, R$ 4,4 milhões para formar professores e mil novos laboratórios
 
A partir de 2012, o Brasil Profissionalizado tem R$ 4,4 milhões em investimentos previstos para formar professores das redes estaduais. O planejamento das ações inclui também mais 1.088 laboratórios em 17 estados e Distrito Federal, tanto técnicos (para ensino a distância, de eletroeletrônica, topografia, análise química e ensaios mecânicos e metalográficos) e como científicos (matemática, física, química, biologia).
 
Para a formação de 300 professores, estão abertos os cursos de especialização em gestão educacional profissional e de agroecologia, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná, e de mestrado em educação, na Universidade Federal de Juiz de Fora. “Em vez de os estados se responsabilizarem pela capacitação, o Ministério da Educação assume os cursos de formação de professores”, explica o coordenador-geral de fortalecimento das redes de educação profissional e tecnológica do MEC, Marcelo Pedra.
   
Como participar do programa?
 
1º passo: Os gestores estaduais devem assinar o Compromisso Todos pela Educação - Decreto n° 6094/97;
 
2º passo: O secretário estadual de educação (ou de secretaria afim) formaliza, junto ao MEC, a intenção de participar do programa;
 
3º passo: A secretaria estadual solicita ao MEC a presença de um técnico para orientar na realização do diagnóstico e elaboração do plano;
 
4º passo: O plano é enviado para análise da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec);
 
5º passo: A partir da análise pela Setec, as ações aprovadas são encaminhadas para celebração de convênio junto ao FNDE ou para atendimento via assistência técnica.

Secretaria de Comunicação da Presidência da República - SECOM (10/01/12)


| 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |    Próxima | Última página

PERFIL

Artur Bruno é professor e deputado federal pelo PT-CE. Atualmente é primeiro vice-presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Já foi deputado estadual por quatro mandatos consecutivos e vereador de Fortaleza por outros dois. É casado com Natercia Rios e pai de Marina e Mayara.

Site oficial: www.arturbruno.com.br

ARQUIVO

Deputado Estadual Artur Bruno

1998 - 2017. Deputado Federal Artur Bruno - PT Ceará
Av. Desembargador Moreira, 2001 Salas 501/502, Dionísio Torres - Fortaleza/CE
Anexo 3 - Gabinete 467 - Brasília/DF

Telefones: (85) 3055-0968 | (61) 32155467
e-mail: arturbruno@arturbruno.com.br

Site produzido e atualizado pela assessoria de comunicação do mandato e TEIA DIGITAL